quinta-feira, agosto 28, 2014

É impossível comer um só!

Estava eu lavando louça, naquele momento em que os pensamentos flutuam, e me lembrei desse slogan da Cheetos. Fiquei intrigada.  Eu havia acabado de comer três fatias de bolo, daqueles secos de padaria.

Uma hora antes das fatias de bolo, tinha feito minha refeição certinha e após três horas da anterior: mingau de aveia com coco. Delicinha. Estava satisfeita. Daí, me chega minha mãe com esse bolo e eu vou lá e provo. Três vezes. O assunto hoje não sou eu, nem meus fraquejos (Aliás, tô ótima! Separo os fraquejos em conscientes e inconscientes; isso me ajuda e acalma, de certa forma. Esse foi consciente e logo parei). O assunto de hoje é a propaganda. Que tipo de bosta passa na cabeça dos comerciantes pra incentivar alguém (crianças!) a comer porcaria? Que tipo de bosta tem na cabeça de alguém pra incentivar E ACHAR BONITO a compulsão alimentar? "É impossível comer um só!"  É sim! E o que tem isso? Isso é legal? Isso é algo pra você se gabar?

Veja bem, há algo muito errado com a cultura toda. Assim como as vós costumam achar, tortamente, que uma pessoa magra é uma pessoa de pouca saúde  "Você tá muito magrinha, precisa comer!", a mídia parece incentivar isso também. (...) Do que estou falando? As empresas não estão nem aí pra nada, a única coisa que importa são os lucros. Se eles só soubessem o que uma pessoa pode passar por uma relação descontrolada com a comida...

Eu nunca fui diagnosticada com compulsão alimentar, mas eu poderia me descrever como compulsiva. O caso do bolo de hoje, por exemplo. Não era bom, mas era bom, e eu precisava comer mais! Era impossível comer uma fatia só. Pelo menos tive a decência de parar na terceira fatia e não comer a metade do bolo, como antes.

O slogan não podia ser pior. Estava na dúvida se era slogan do Bis ou do Batom; não era nem um, nem outro. Nesse caso, nem a marca ficou fixada na minha cabeça. Mas, sim, a ideia de ser permitido, legal, divertido e, quiçá, obrigatório comer o pacote inteiro.

Tsc. Tudo errado.



Extra: Tirinha sobre Bis que acabei de achar. Muito precisa. Por Fernanda Nia Ferreira "Como eu realmente"

Beijo pra Ana Preguiça que odeia lavar louça.
Beijo pra todas vocês que comentaram coisas tão gentis no post passado. Obrigada.

27 comentários:

  1. Muito boa reflexão! A indústria tida como alimentícia, quer passar a falsa ideia de que lixos industrializados são comida. E pior é que as crianças são o maior alvo. Parabéns pelo blog. Gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, Alê! É uma covardia, se pensar bem.

      E muito obrigada! ♥

      Excluir
  2. Oi!
    Vim retribuir a visita e o carinho no meu blog.
    Realmente a compulsão alimentar é uma droga, e a indústria só faz alimentar esse problema. São uns bostas mesmo.
    Só sabem induzir aos maus hábitos.
    Vamos seguindo em frente e deixando as fraquezas para trás e buscando sempre sair do ciclo de repetição.
    Beijos e boa sorte!!!

    www.afinandobem.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade pura! O importante é realmente deixar as fraquezas pra trás!

      Beijo e obrigada pela visita! :*

      Excluir
  3. De fato eles só pensam no lucro deles, eu por diversas vezes já pensei "por que essas porcariadas de comida não vem na embalagem que faz mal a saúde como vem no cigarro?" talvez assim o consumo diminuiria e as mães pensariam duas vezes antes de comprar essas coisas para os filhos.

    Beijos e adorei a postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, é uma ótima ideia! Sabe o que eu acho legal? Quando vem algo assim "Frango sem hormônio. Como todo frango no Brasil". Não dá pra ficar fazendo todo mundo de trouxa o tempo todo, né?

      Beijos!

      Excluir
  4. Querida Folha, estiveste tanto tempo sem dar noticias que eu fiquei preocupada, será que a folha já não escreve no blog?!?! Será que está tudo bem?!?!
    Obrigada pelo beijo, Folha, gostei muito do miminho! Senti com carinho e mando outro para ti!
    Mingau é papas? Nunca fiz, vou experimentar um dia destes :)
    Quanto ao tema do post, é tudo verdade, é só marketing para vender. E não olham a meios para atingir os fins.
    A todos os pais, eduquem os vossos filhos para lidar com a publicidade. Expliquem que comida é comida, brinquedos são brinquedos, não servem para comer e ficar grandes e fortes; bonecos nas embalagens não faz o alimento mais saboroso. Para mim o pior exemplo é o MacDonalds e o Happy Meal com o brinquedo. Fidelizam a criança para a vida toda, a comer e consumir fast food. Cabe-nos a responsabilidade de ver TV com as crianças e conversar sobre os anúncios. Aos poucos as crianças vão desenvolvendo o espirito critico em relação ao que os media tentam impingir e fazem as suas escolhas de forma mais livre e consciente. Mas também existe toda uma ciência por trás, a publicidade recorre a psicologia, imagens, palavras e sons que levam a que se consuma o produto. Nada é deixado ao acaso. Todo e qualquer pormenor é pensado e muito estudado. Está muito errado, mas temos que aprender a defender dessas "agressões". Amiga, beijinhos grandes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Ana, eu nunca tinha parado pra pensar na questão das crianças serem cativadas já na Happy Meal (aqui, Mc Lanche Feliz). Caramba! Você tem razão, é uma ótima educar as crianças desde pequenas. Gerar esse senso crítico.

      Olha, pelo que vi, mingau é papa, sim! haha Eu adoro. De aveia, então... hmmm!

      Que bom que gostastes do carinho! ♥
      Beijo enorme

      Excluir
  5. Folha, estava com saudade de te ler. Amo muito tudo isso! é o que meu filho escuta na TV no comercial do MC, ai vamos passear e ele quer um lanche de qq maneira.Qdo digo que não é legal, não faz bem, ele me diz que não, estou errada é legal e ficamos felizes comendo o lanche feliz e ainda vem com brinquedo da moda. A midia é forte nesse quesito, estou aqui lutando contra isso na minha casa.realmente olhando a propaganda, parece que todos meus problemas serão menores depois de comer. Aff, haja força pra mudar nossas crianças. Excelente reflexão...beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Silvia! ♥ Que coisa boa ler isso.

      É um problemão mesmo. Nunca tinha pensado assim. É fácil só se entregar ao McDonalds né? Triste. Temos que lutar por nós e pelos filhos, no teu caso. Boa sorte, minha amiga!

      Beijo enorme :)

      Excluir
  6. Tu já assistiu ao documentário "Muito além do peso"? Tem no YouTube, todinho ele. A gente vai vendo o quanto as crianças acabam influenciadas por essa mídia lixo. Acho que os pais precisariam ter um BAITA jogo de cintura para conseguir amortizar essa situação.

    O problema é que a maioria dos pais não liga mesmo. Triste.

    Reflexão certeira! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não assisti, Denny! Mas vou sim! Já esbarrei com eles algumas vezes na vida 'anterior' e não tive paciência de ver. Olha que engraçado.

      Obrigada pela visita, querida. ♥

      Excluir
  7. Folha, o teu blog sobre emagrecimento e os teus posts, são muito interessantes, porque refletem temas muito importantes, o comportamento humano, não só no emagrecer, mas na vida em geral. Venho ao teu blog muitas vezes porque está escrito de forma divertida e, ao mesmo tempo, faz-nos pensar! Chama-se a isso um blog de excelência! Parabéns, Folha!
    Cá em Portugal também há um anúncio publicitário com essa frase "é impossível comer só um" ou algo do género. E fiquei com a frase na cabeça... Acho que é uma frase genial! Quando eu abro um pacote de bolachas que adoro, não consigo comer só uma, como o pacote todo. Esse slogan faz com que eu interiorize que o meu comportamento não está errado e eu não estou a fazer mal à minha saúde. Está a banalizar e a tornar esse comportamento aceitável. É ou não e genial?! Beijinhos para ti Folha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso sim! Os anúncios nos incentivam a nos permitir comer o pacote todo. E eu também como, viu. Ou metade. Coisa difícil controlar! Por isso, prefiro evitar esses que me descontrolo.

      E o que falar dos seus comentários sobre meu blog? Ah, Ana! Muito amor, viu? ♥ Só fico feliz e agradecida. Muito bom que você goste! :)))

      Beijo enorrrrrme! Sinta-se sempre bem-vinda!

      Excluir
  8. Gente, eu JURAVA POR DEUS que eu tinha comentado nesse post e cadê? Hahaha acho que eu escrevi o texto todo e na hora de enviar acabei não enviando, vai saber!!

    Enfim... Comentando agora.

    Vc falou e disse, mais uma vez. Concordo muito com o que vc disse sobre essa mídia apelativa para o mundo não-saudável, pois o futuro nesse caso não pertence a deus, como diria o ditado, mas pertence a essas crianças, futuramente adultas, passando por tudo que nós passamos para emagrecer: dieta pesada, exercícios pesados e um fardo para carregar pro resto da vida.
    Os órgãos reguladores de propaganda deveriam ter uma atuação mais rígida com relação a essas propagandas, na minha opinião, abusivas.
    Amei o post! Vou pensar com carinho em usa-lo como tema de dissertação, haha (faço direito, no direito do consumidor a gente aprende sobre propaganda e tal).
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, às vezes dá uns bugs... né?

      É nisso que eu penso. Nas crianças e nas pessoas que ainda não se conscientizaram. Todo mundo que vai ter que passar por tudo isso que passamos e a mídia continua aí, aplaudindo.

      Que bom que gostou! (: Pode usar, se quiser. Beijo, Roberta!

      Excluir
  9. Amei a reflexão, é bem isso mesmo, eu não sou compulsiva por doces, em compensação salgados me tiram do ar. Gostei do post, vale a pena refletir.
    (Seguindo)

    *´¨)
    ¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
    (¸.•´ (¸.•` ** Um grande abraço!

    http://segundaeucomecooficial.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Boa reflexão... Gosto do teu blog :) não é o típico blog de emagrecimento (não que estes sejam maus, claro), é diferente... Nota-se que pensas nas coisas e falas sobre tópicos importantes! Tens espírito crítico :) Às vezes quando se pensa bem nas coisas até assusta. Na publicidade é mesmo assim, tudo bem estruturado para enviar umas mensagens subtis... Slogans bonitinhos, imagens de felicidade, ideias que se vão infiltrando na cabeça. Parece inofensivo, mas não é bem assim... Isso do "impossível comer um só" é aliciante, e até pode parecer uma "inocente" alegação sobre a qualidade do produto.
    A compulsão alimentar não é muito falada nem conhecida, mas realmente também é grave - nem imagino a perturbação psicológica. E os miúdos crescem a ouvir estas coisas na TV, vai modelando as ideias...
    Também há outros que me irritam. O do iogurte "Danio" é sobre matar a fome e sobre a riqueza em termos de proteína - dá ideia de que é um lanche aceitável e que sacia muito quando também tem imeenso açúcar e outros ingredientes maus. O kitkat e a "pausa" é a mesma história. O McDonald's faz com que crianças que nem gostam muito daquilo comam lá só pelo brinquedo (é evitar... E já que é pelo brinquedo pode-se trocar a batata por fruta ou cenoura, sempre é um progresso. Parece ridículo mas o meu irmão já fez isso! Claro que continua a haver a mensagem e o hambúrguer ou outra coisa, mas em visitas esporádicas é uma melhoria). No caso do MacDonald's também é mau até o nome - "Happy Meal", como se a felicidade viesse da comida ou estivesse fortemente ligada a ela. Até o Ronald McDonald's serve para atrair as crianças! E os parques infantis coloridos que põe nos restaurantes... Ah, e a subtileza do "100% carne de vaca". Semelhante aos brinquedos do MacDonald's são os pacotes de bolos e batatas com presentes - autocolantes, tatoos, brinquedinhos, cromos - ou com a forma de bonecos infantis conhecidos, que são obviamente um ponto fraco porque os miúdos adooram os heróis da TV. Também há demasiadas publicidades de coisas "naturais" ou "100% naturais", quando "natural" nem quer dizer nada e provavelmente o produto está cheio de conservantes e etc. Os rótulos de "saudável", "equilibrado", etc em produtos muito processados e cheios de químicos. As bolachas "de pequeno almoço" de cereais e não sei quê para aguentar a fome quando seria melhor comer um pão. Os pacotes com X calorias. Em Espanha há uma marca de bolachas para crianças com farinha branca, cheias de açúcar e químicos, com a variedade chocolate (ainda pior!) que é apoiada por uma associação de nutricionistas qualquer! Já para não falar dos cereais e outras porcarias cheias de açúcar e químicos em que espetam meia dúzia de vitaminas para pôr em letras grandes no pacote e fazer as mães acreditar que é uma boa opção. (...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (...) por causa do limite de palavras :P
      É frustrante quando tentam enganar pessoas que estão a tentar ter uma vida saudável com rótulos sensacionalistas e alegações falsas - cereais "fitness" (só o nome!), barras de chocolate,... Algumas pessoas de dieta ou a tentar melhorar a saúde estão especialmente vulneráveis a essas coisas, também porque algumas querem alimentar a esperança de que podem comer chocolate, barras, bolos e guloseimas que são "saudáveis" ("sabe tão bem e é saudável!") e mesmo sem se aperceberem preferem acreditar que faz bem. Imagens de mulheres magras e em forma nas capas. A Nutella e os pacotes de batatas fritas e etc que têm no pacote "pode integrar uma alimentação saudável", junto com uma pirâmide alimentar que inclui o dito alimento, e até com uma sugestão de pequeno almoço saudável tipo "um pão com Nutella, uma peça de fruta e leite". Acho que até houve um anúncio de Nutella banido noutro país por sugerir descaradamente que era saudável por ter avelãs e leite! Dizer que alguma coisa é integral quando o primeiro ingrediente é farinha refinada e só tem uns 10% de farinha integral ou até nenhuma e só algum gérmen. Produtos que proclamam ser biológicos ou orgânicos como se isso fosse tudo. Produtos que usam algo que o consumidor tem ideia de ser saudável - soja, aveia, mel,... Produtos "sem adição de açúcar" que compensam na gordura. Produtos carregados de açúcar e naturalmente baixos em gordura que dizem "0% GORDURA" (as gomas não têm gordura e não são propriamente saudáveis! Já vi gomas "0% gordura". São todas, o problema das gomas não é esse...). Coisas "sem glúten" ou "sem lactose", como se isso as fizesse automaticamente saudáveis.
      O Snickers era chamado qualquer coisa com "Marathon" para dar a ideia de que dá energia e que é saudável. Acho que até foi o Snickers que teve aquele slogan sobre ter fome, como se fosse uma necessidade e uma boa fonte de energia saciante e saudável. Aquele chocolate "Ritzer Sports" ou lá o que é que quer fazer parecer que é saudável por dizer "desporto". Iogurte gelado que tenta dizer que é saudável por ter iogurte no nome (e bolo de iogurte? Conta? O pudim também tem leite, faz bem?). Uma marca de iogurte gelado dos EUA que apregoa ser orgânica e natural quando tem imeeensos ingredientes por sabor, incluindo vários duvidosos. (Eu adoooro iogurte gelado, mas sei que não é saudável e não como como se fosse, é quase a mesma coisa que gelado - mas sabe melhor :P). As imagens de leite com crianças e tal para fazer os pais ficarem com remorsos para que comprem leite "bom", de marcas caras. O "danoninho" que supostamente faz crescer. Imagens de fruta fresca e outros ingredientes frescos e "de qualidade" em publicidade de compotas/sumos/gelados/etc. Imagens de avózinhas para dizer que é natural e tradicional. Gelados "de leite". Patrocínio de marcas de fast food ou comida "não saudável" a eventos desportivos para associar a uma vida ativa e saudável.
      Há uma enoorme força por parte das indústrias para nos fazer consumir os produtos... Do leite, por exemplo. Já para não falar de como as associações relacionadas com nutrição estão comprometidas e da corrupção dentro delas. A FDA tem sempre casos óbvios disso. Depois há imensa informação errada a que somos expostos desde crianças, graças a interesses de alguns...
      Mesmo que pensemos que não somos sempre influenciados. Mas estarmos conscientes disso basta para que tentemos pensar por nós próprios, e isso é o melhor...

      Excluir
    2. Você não poderia ter descrito melhor, Avelã! Em cada uma dessas coisas há o perigo. Inclusive me intriga muito pães integrais com zero de farinha integral e só algum gérmen, já notei isso. Há muitíssimas coisas pra se prestar atenção. Até o McDonalds, oferecendo a troca pela cenoura e maçã, está tentando se vender como "saudável". E também há o que você disse: pessoas em dieta querem ter o conforto de pensar que ainda podem comer um chocolate, por exemplo. Eu prefiro comer um chocolate normal, que eu goste, a escolher um diet e saber que este vem cheio de adoçantes artificiais E gordura. Se é pra comer porcaria, que seja uma porcaria declarada, não uma se vendendo como boazinha. :)

      Beijo! :*

      Excluir
  11. Realmente, estamos cercados o tempo todo por comida e o pior por slogans e propagandas que nos induzem a comer muito!
    Temos que ter muita disciplina e buscar cada vez mais conhecimento.
    Beijo

    http://clubvamosemagrecerjuntos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Camila! É preciso muita disciplina.

      Beijo!

      Excluir
  12. Oi, Companheira!
    Essa do bolo... se eu fosse sua mãe, entraria na sua rapidinho, trazendo coisas saudáveis para casa. Puxe a orelhinha dela por mim!

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá..eu nunca fui de sossegar antes de esvaziar as embalagens, fosse do que fosse, enquanto tem um eu não sossego.. deve ser por isso que fiquei deste tamanho =/

    meu filho pequeno não liga muito pra salgadinho chocolate e etc, o que pega eh comer miojo invés de comida... mas o bichinho puxou o pai e eh magrelinho que parece que vai quebrar, menino de sorte se tivesse puxado a mae tava perdido rsrsr

    bjss

    ResponderExcluir

Receba os novos posts por e-mail!