quinta-feira, agosto 14, 2014

Caminho de volta

"Sim, eu estou perdida.

Se você contar, não são muitos dias. De repente, são. Não tenho muito como saber. Os pensamentos estão somente em comer. A verdade é que não sei há quanto tempo estou assim.

Eu suspeitei quando escrevi que não estava perdida. O primeiro sinal de fraqueza, de recaída, é negar o problema, mentir para si mesmo. 

Não tenho conseguido me controlar. De repente, parece que tudo que escrevi até agora é besteira. Não interessam os sabores mudados, não interessam os bons resultados, não interessam os quilos deixados pra trás. Fica estranhamente fácil e tranquilo desacreditar que foi verdade um dia. O lugar foi dado à derrota conformada, confortável.

Dia desses experimentei roupas que, antes, não cabiam. Me serviram uma calça antiga e um shortinho que ganhei de presente. A calça ainda carregava o nylon da etiqueta mal arrancada. Não sei se cheguei a usar. Foram poucos meses atrás, quando ganhei o shortinho. Tive que deitar na cama, empurrar as banhas pra dentro e quase explodir o botão pra caber no mimo. E agora dava, subia fácil. Só um pneuzinho contido, muito tranquilo, que, em alguns dias, eliminaria.

Acontece que, poucos dias depois disso, eu engordei. A balança disse e as roupas também. Gramas a mais me fizeram ficar apertada e deformada nas roupas que agora cabiam. 

Veja, engordar é fácil. Se perder, perder o foco e a força de vontade, também.

Ainda não consegui voltar ao meu normal pós quinze dias focados. Não me recuperei. Estou toda desorganizada. Estou tentando. Vou bem até certa parte do dia, todo dia. Até que chega uma hora e leva minha garra toda embora. No dia seguinte, mesma coisa. Está difícil. Desde que comecei a emagrecer, nunca engordei de novo. Pelo menos, não que soubesse. Aliás, essa é outra coisa. Não está me fazendo bem me pesar semanalmente. Vou voltar pro esquema mensal.

(...) 

O engraçado é que eu fico procurando uma corda-resgate pra me segurar e, com isso, só penso nos desafios dos dias sem açúcar, detox, etc etc. Mas, ao mesmo tempo, não quero arriscar. Foi depois do 15 dias sem jacar que me perdi. 

Hoje já me imaginei gorda de novo  Não que eu esteja magra, veja bem."

E eu não terminei de escrever. Abandonei o texto também. Faz três dias que estou com esse bloco de notas aberto.

Enfim, as coisas melhoraram. Pode soar exagerado engordar em dois dias; estar perdida e, três dias depois, estar melhor. Mas não é. O tempo, aqui, está além disso. Dias não significam meros dias pra quem está em constante batalha.

Estou mais calma, mais focada. Pesagem agora, provavelmente, só no fim do mês. Estou indo devagar, não estou me cobrando muito, estou realizando pequenos acertos, estou tentando até não pensar muito, me distraindo, e, assim, fico mais calma. Estou achando o caminho de volta.

Devo agradecer também a minha soulmate, que me deu umas chacoalhadas.

20 comentários:

  1. Olá, Companheira!
    Adorei o final do texto! Sobre o finzinho do dia, é assim mesmo... a pior parte, cheia de ansiedade e idas à geladeira.
    E sobre os dias de desafio, também prefiro não tê-los e manter uma rotina constante e consistente; nem aos domingos facilito.
    Este cantinho de desabafos e descobertas de si mesma te ajudará, eu sei. Confio em ti!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris! Fico feliz que você tenha gostado :*

      A parte parte do dia sempre varia pra mim... estou nessa fase do fim do dia. Coisa chata.

      Acho que ajuda, sim, escrever... Mas confesso que estava com vergonha de postar, de escrever mesmo, na loucura da comilança.

      Obrigada pelo apoio! Beijo enorme.

      Excluir
  2. Minha linda, nao entre em parafusos, vc ja é uma vencedora so por tomar a iniciativa de começar a dieta, pra mim foi muito difícil, levou anos, e falo anos mesmo, uns 4 anos, e tb comecei aos poucos , e jaquei umas 300 vzs, é bem difícil mudar tudo, ver as pessoas comendo e n poder, é triste e desanimador, mas infelizmente deixamos chegar num ponto que precisamos correr atras do prejuízo, vai haver dias q vc vai errar, desanimar, vai comer um monte, mas n pode desistir, crie metas pra vc mesmo, eu por exemplo tenho que perder no minimo 3 kgs por mês, tem que estabelecer metas, sonhos, destrair a mente, se vc n trabalha, arrume jogos, atividades, algo pra distrair a mente pq fkr parada é inimiga da dieta.
    Vai ser difícil mesmo, muiras vzs vc vai se sentir mal, desanimada, é normal, so n desista, lute contra suas vontades.
    Se vc tiver whatsapp me avisa e me manda um email com o numero para gismiliflor@gmail.com ai podemos conversar, dar força uma pra outra.Vc é uma moça muito inteligente e legal, no que eu puder te ajudar, estou aqui...

    Fica bem... Beijos no s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi... não tenho como agradecer o apoio e o carinho comigo. Saiba que você é muito querida.

      Você tem razão. É como as pessoas vivem postando no instagram sobre como quem atingiu o sucesso, foi porque insistiu. Temos que insistir, né? Caindo, capengando, comendo tudo que vê pela frente... mas nunca desistindo.

      Eu estava, mesmo, muito desanimada. Mas tô me reerguendo!

      Muitíssimo obrigada pela força. Vou te escrever!

      Um beijo.

      Excluir
  3. querida todas nos somos assim, nao eh soh vc nao benhe =)

    eh nessas horas q a maioria desiste,,,,, senta respira e traça um plano, meta ou sei la o q e bola pra frente

    eu estava neste mesmo barco e resolvi aderir por 40 dias a dieta do dr atkins para dar uma segurada na compulsao e hj foi o segundo dia e passei bem.... tenha calma, vc ja xego tao longe nao eh o momento de se desesperar.. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certíssima. É assim mesmo. Botar a cabeça no lugar e bola pra frente!

      Tô mais calma. Obrigada pelo comentário.
      Boa sorte na Atkins! Não deixa de contar pra gente como tá indo!

      Beijo!

      Excluir
  4. Querida amiga Agora eu como folha,
    Não te percas, eu sei que não, o pouco que te conheço diz-me que és forte e determinada! Nunca passei por algo semelhante, calculo que seja uma luta constante connosco próprios, muito difícil. Mas a vida é assim, feita de escolhas, feitas por nós, escolhas difíceis, muito difíceis! Continua a escolher o que é melhor para ti, socorre-te de tudo o que te poder ajudar a continuar a tua luta, socorre-te da minha amizade, de todos os que te amam, de tudo, tudo, tudo! Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, escolhas muito difíceis! Muito obrigada pelas palavras, amiga Ana. Fiquei muito feliz de ler palavras tão doces. Fazem um bem danado teus comentários.

      Estou indo! Está melhorando. O almoço hoje foi super saudável! E assim eu continuo, lutando, escolhendo o melhor caminho.

      Obrigada e muitos abraços e beijo pra você!

      Excluir
  5. Eu li esse post e chorei. Senti o amargo em cada palavra e me vi assim junto com vc. É dificil, é dolorido. V vai se cansar, vai desanimar, vai chutar o balde. Mas vc vai começar outra vez, essa fase vai passar, se erga amiga, vc lutou bastante até aqui e merece uma medalha, sei como é dificil essa luta diária, mas estamos aqui para ajuda-la assim como nos ajuda expondo sua vida. não deixe de escrever, principalmente qdo achar que as coisas estão indo mau pra vc. Queria ter te dado um abraço, porque sim, eu te entendo muito. Mas logo mais vc volta a ter o controle, a recaída é completamente normal nessa caminhada. Vamos juntas? Beijos, torço pelo seu sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um amor, Sil. De verdade. Te agradeço muito pelas palavras de incentivo e coragem. Com certeza, me animaram. Não vou desistir, não.

      Obrigada. ♥

      Excluir
  6. Oh qrida o simples fato de vc está na luta já faz de vc uma guerreira, essa luta né fácil não viu??
    Mas olha tudo que vc já conquistou ate aqui, e vai conseguir mto mais pq vc é uma guerreira como todas aqui! Juntas seremos magras! rsrsr
    Bjokas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Ana Paula. Vamos conseguir mais e mais e seremos magras juntas! :')

      Beijos!

      Excluir
  7. O caminho não é fácil. E cada um escolhe um meio de se embrenhar por ele. No meu caso, a maneira que encontrei foi não jacar mesmo. Pq eu me perco quando caio. Tenho dificuldade em retomar. Não encaro como uma punição: encaro como a única maneira que funciona comigo. Cada um tem um jeito. Descubra o seu. Mas não se permita retroceder. Você já conseguiu tanto! Conseguirá muito mais, pois já mostrou que é capaz!

    Beijo e força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi o que me aconteceu dessa vez. Foi difícil demais voltar pro lugar.

      Muita força pra nós, Denny. E muito obrigada por suas palavras.

      Excluir
  8. O problema é que podia ser uma vez. Uma "asneira"... E faz de rastilho para mais. E não é só para a comida/dieta...
    Para quem se concentra na comida - tentar comer saudável, fazer dieta, até obsessão - essa relação acaba por servir de metáfora para outros campos da vida. E nunca é só sobre a comida. Não podia ser... Um bebé não chora por ter comido doces, não come porque sim, não cisma com as refeições. Comida é comida, é um combustível, sabe bem e já está, não é nada de demasiado importante. Mas acaba por ser fácil desenvolver uma relação pouco saudável com ela. É uma necessidade, portanto tem de estar sempre presente. E ainda por cima tem impacto nas pessoas - saúde, disposição, auto-estima, imagem.
    E muitas vezes o pensamento centra-se só nisso... Quando se faz dieta, passa a ser quase o principal foco de atenção, o que, sendo inevitável, sabota a própria dieta. Se o teu problema fosse ser demasiado magra desde criança provavelmente não ias gostar... Quando olhas para a comida como "obrigação" ou desagradável não te apetece nada comer. Quando olhas para ela como "fruto proibido" ou fonte de prazer queres poder comer. Nunca estamos satisfeitos!
    Talvez pesares-te de mês a mês seja boa estratégia. Mas cuidado, porque pode parecer demasiado "espaço de manobra" sem pontos de controlo. Só tu sabes o que resulta para ti!
    Pensei que o desafio fosse resultar, que pena... Se não resulta contigo esquece, não vale a pena. Come uma bolacha ou um chocolate depois de jantar se for preciso, desde que não seja em exagero e te ajude a continuar. Mas sem metas! Não podes por um prazo. 15 dias, 1 mês... E depois? Não faz sentido... Em anos de vida não são 2 semanas a 100% que te vão fazer mudar. Muito menos 2 dias. Quantos tens pela frente? Tens imensas oportunidades, imenso tempo. Tens de ceder o tempo, de seguir para a frente mesmo que tenhas comido algo menos bom - porque é só um passinho para trás, e podes continuar a seguir em frente. Tenta não obcecar, não pensar demais. Com o tempo melhora! Vai chegar uma altura em que tens controlo. E essa altura vale a pena o esforço. De cada vez que cais e te levantas estás mais perto.
    O bloco de notas está aberto e em branco - podes facilmente mudar o que vais escrever. Come saudável, pesa-te só quando quiseres... Conhece-te melhor! E a sério, pensar demais não ajuda. É quando começas a pensar na desistência, no falhanço, que estes se tornam mais frequentes! Percebo que te sintas frustrada depois de "estragar" a dieta. E a culpa por algo irreversível é terrível! É difícil de evitar, mas podes decidir o que fazes com isso. E continuar.
    Encontra outras distrações - e isso ajuda muito. Outros passatempos com objetivos que não sejam a perda de peso - um desporto, escrever um livro, qualquer coisa. Quando estás ocupada é muito mais fácil esquecer a dieta (e até esqueceres-te de comer :P)
    Rapidamente voltas onde estavas e mais! Não são esses dias que vão determinar a tua vida :) e se não tivesses começado a tentar perder peso esses dias que agora são maus podiam até ser normais.
    Já gostei mais do final do post :) mais esperança! Sim, vai ao teu ritmo... É o melhor que podes fazer. Boa sorte com isso!
    Desejo-te muitas felicidades. A sério. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo, lindo, Avelã! <3 Poxa vida... obrigada por tirar esse tempo pra escrever todas essas coisas gentis e incentivadoras. Obrigada por cada palavra. Você tem razão em tudo que diz. Se a gente não pensa na comida o tempo todo, pode ser mais fácil. Por outro lado, pensar na comida seguinte e planejar refeições e cozinhar saudável, também me ajuda em alguns dias! É um equilíbrio, né? :) Uma dificuldade haha. Como você disse, vou me conhecendo melhor aos poucos e vai ficando mais fácil com o tempo.

      Muito, muito obrigada por teu comentário. Vou lê-lo sempre que as coisas estiverem difíceis.

      Excluir
  9. Minha flor, sei bem o que é isso!
    Estou meio que me recuperando também de uma fase dessas... os shortinhos que ficavam bons voltaram a apertar e isso é desesperador!
    Mas o bom é que não nos conformamos. Levantar a cada queda faz a gente ficar mais forte!
    Espero que tudo se aprume aí e aqui!
    Espero que os quilos perdidos nunca mais voltem e que os que faltam os acompanhem para bem longe de nós!
    Força aí, florzinha.
    Cheirinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei bem como é desesperador. Continuar, tirar força de um lugar invisível, ou deixar tudo alcançado pra lá? Continuar! Vamos continuar.

      Beijo enorme pra você!

      Excluir
  10. olá!

    Passei uma vida em luta, há um ano e meio estava bem. Mais magra e praticava exercício. Por breves meses desleixei-me e engordei 20 kg... Voltei à luta. É difícil mas vamos conseguir! =)

    ResponderExcluir

Receba os novos posts por e-mail!