sexta-feira, março 13, 2015

Compulsão alimentar ou safadeza?

Sexta à noite, perto das nove. Estou em casa, fazendo nada, como gosto, e está perto da hora de comer. A vontade de mastigar já está um pouco forte demais, uso minha aliada: a cozinha. Cozinhar perto da hora de comer sempre me permite aguardar o tempo de comer. Resolvi fazer uma sopinha. Daquelas de caldo ralinho mesmo, queria assim. Eu, que sou a não-entusiasmada número 01, quando se trata de sopas. Piquei chuchu, batata e cenoura que, mais tarde, iriam pro refogado junto da cebola e a manteiga sem sal. Tudo lindo, bonito, o cheiro já gostoso no ar. Um cheiro até de conforto, que é suposto das sopas trazerem. Já pensando na vontade de docinho que me dá depois de almoçar/jantar comida de verdade, sem ser lanche, me encorajei a preparar um arroz doce integral. Tudo caminhando bem, até que...

Não me lembro bem o que fui procurar no armário da dispensa, acho que macarrão pra sopa, que nem usei. Abri, olhei, demorei três segundos pra lembrar o que queria ali, o de sempre. Mas, em algum lugar no meio disso, a cilada: em cima do armário, um pacote daqueles de meio quilo de pão de mel. Foi imediato. Me chamou, eu fui. Literalmente seduzida e com zero esforço por parte do meu sedutor. Resisti por, sei lá, 57 segundos, repassando na cabeça a teoria do primeiro gole, o cuidado que tenho tentado ter de reduzir porcaria e carboidrato simples depois das dezoito, a sopinha tão gostosa que só existiu com o propósito de ser minha janta, o arroz doce que já seria minha porção de doce logo mais... Não deu. Ou eu não quis. Eu sinto mais como se eu tivesse jogado um monte de papel pro alto, por vontade própria. Após dar voltas e voltas na cozinha, como quem aguarda um bebê no saguão, eu me rendi.

"Foda-se, eu quero."
"Tanto faz, melhor comer do que guardar a vontade e ela piorar."

"Só trêszinhos pra matar a vontade! (...) Pronto, passou."
"Nem é tão gostoso, tá vendo que seco?"  E então eu voltava como uma viciada em heroína pro pacote de pão de mel. Mais três, mais três, mais um pra completar número par.

Já estando ali, com a boca cheia de... fracasso/liberdade/raiva/prazer, por que, então, parar? Eu escrevo agora, repassando meticulosamente a cena, mas a verdade é que, na hora, não penso muito. Até penso. Talvez pense muito, sim. Mas é tudo tão misturado! A boca e as mãos atacando em equipe, meu corpo como se estivesse aumentando de tamanho, se transformando num rei momo monstro que domina, e eu, a parte que luta, encolhendo e me desfazendo, dentro da carcaça. Tudo isso mais rápido do que se pode acompanhar. Mais três fatias de bolo da padaria.

Não me lembro claramente do depois. Só lembro quando estava no fogão, agilizando a sopa e encarando-a vagamente, talvez com vergonha, talvez desorientada.

A sopa estava ótima, repeti.
O arroz doce, queimei enquanto escrevia o primeiro parágrafo.

14 comentários:

  1. Eita folha, tenho esses momentos terríveis também. Caramba, me sinto fraco naquele momento, mas depois penso ser parte do processo e talvez para amenizar penso "que não seja todos os dias" não tem sido mas é uma coisa chata.

    ResponderExcluir
  2. Foi, aconteceu, esquece, bola pra frente, que para a próxima ficas pela sopa! Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só lembrei de você enquanto fazia a sopa, Aninha.

      Excluir
  3. Eu fico embasbacada com a forma com que tu escreve, eu leio muitos livros, e poucos deles prendem minha atenção como os teus textos conseguem.
    Só posso te dar parabéns, apesar do desfecho trágico, tua história é magnífica de se ler.
    Escreva mais, escreva sempre...

    Obs: Eu vivi muito desse drama esse mês, sei bem como é, inclusive com um pacote de rosquinha doce, que é nada mais que uma bolacha dura coberta com açúcar, comi um pacote enquanto assistia um filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico muito feliz de ler isso, Pam! Gosto quando gostam da minha escrita xD Obrigada.

      Não sei mais o que fazer com esse drama. Amo rosquinha. :(

      Excluir
  4. Primeiro: já pensaste em escrever policiais? :P
    (A sério, este post até parece um excerto de livro de suspense. Tens a certeza de que não és a Agatha Christie?...)
    Engraçado que faças um refogado para sopa :P haha
    Acho que consigo cheirar daqui... Se calhar é a minha avó a cozinhar. :P
    Eu gosto muito de sopa! :)
    Muito inspirada para a cozinha :) arroz doce integral deve ser bom! Ele até fica cremoso, mesmo quando é suposto ser seco :P
    Nunca comi pão de mel, não sei bem o que é mas até parece bom :)
    57?... Alta precisão!
    Deve ser realmente frustrante, até porque muitas vezes o comer é irracional e no momento pode parecer simples, complicando só o futuro.
    Tenta não chorar sobre leite derramado, não vale a pena e só piora. E imagino que seja difícil, porque quando se trata de arrependimento não dá para descansar sem estar sempre a pensar que podia ter sido de maneira diferente... Custa-me dizer alguma coisa ou palavra encorajadora porque não te vai ajudar e estou a falar de algo de que não sei muito, mas espero que não sofras desses episódios tão «irritantes». Somos todos diferentes e consigo imaginar o ter tendência para isso, porque não é nada difícil ter uma relação assim com a comida... Mas tu ultrapassas isso ;) pode acontecer a todos!
    Ainda bem que a sopa ficou boa :D
    Essa conclusão, não sei porquê, tem algo de fascinante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que você tava brincando de bom grado ou só me zoando, no primeiro parágrafo? Hahaha

      E como você faz sopa, então? Olha, se não tivesse queimado, o arroz doce teria ficado muito bom! Provei uma parte.

      Boa precisão imaginativa. Há.

      Você é tão sábia nas coisas que escreve! Tipo, coisas óbvias, mas que a gente não pensa muito: "no momento pode parecer simples, complicando só o futuro".

      Obrigada por tuas palavras de sempre e por teus elogios. Um beijo!

      Excluir
    2. A gozar? Eu? :P
      Não, estava a falar a sério. Eu falo sempre a sério.
      (Quase :P)
      ...Mas estava :) devias escrever um livro!
      (Aposto que já pensaste nisso... Gostas de escrever, não gostas? Eu também :))
      Sopa - água + um monte de vegetais + vitela (e sal), cozer e triturar. Depois 1 fio de azeite (ou não) :P e às vezes, no fim, feijão/massinhas/arroz/repolho/espinafres (ou tudo) para ser giro e ter alguma coisa «trincável). Se bem que também gosto dela toda passada... :D
      De nada :P não tens nada que agradecer! :)

      Excluir
    3. Sabe que não? Sempre escrevi em blogs, mas nunca pensei em livro. Até novela já pensei, quando criança. Mas livro, não. hahaha.

      Tua sopa parece boa! Sempre bom mesmo ter alguma coisa pra mastigas, senão... ataca logo a fome! (A gorda)

      Beijinho!

      Excluir
  5. É realmente assim, Companheira!
    O único jeito é evitar ao máximo levar a tentação prá casa, pois a cena acontece com todas nós... TODAS!
    Quantas vezes já me peguei procurando aquela guloseima, fuçando cá e acola... E se encontro, já sabe. Perco mesmo as estribeiras. Porcaria esse nosso lado!
    O importante e recomeçar mais e mais. Só assim ganhamos força contra a tenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como eu queria morar SOZINHA numa hora dessas, Companheira! Já é tão difícil por si só, que dirá com alguém (que também quer emagrecer!) trazendo pão de mel pra casa :/ Mas, mesmo não trazendo, é o que tu disse: futucando a gente sempre acha uma guloseima.

      Obrigada. Um beijo!

      Excluir
  6. Oi Folha! Estava procurando por algum blog que me representasse, ou representasse o que estou passando nos ultimos tempos. Eu nunca fui gorda, mas ano passado caí na armadilha dos perfis fit do instagram, e adivinha só? Eu com 1,56 e pesando 51kg (21 anos) fui fazer academia e dieta restritiva para? PARA ME FERRAR, ISSO MESMO.. Pois bem, cheguei a pesar 44kg e estou tentando me recuperar mas é dificil. Tive que abandonar a academia, mas agora sinto que não sei comer da forma que comia antes, eu estou tendo MUITOS episódios de alimentação descontrolada e sinceramente nao sei mais o que fazer! Gostaria de contar para todo mundo que a dieta me deixou doente (psicologicamente, o que acho muito pior). O que tem me ajudado são os textos/palestras da Sophie Deram (a qual afirma que dieta engorda, muito famosa atualmente), porém está dificil... estou muito feliz por ter encontrado seu blog! A você desejo muita força e sabedoria para seguir com tranquilidade até seu objetivo! Um beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, você! :D (Cara de entusiasmo, porque a-do-ro fazer amigos novos por aqui, apesar da situação.)

      Esses perfis fit do instagram... complicado, né? A gente acaba se deixando levar. Eu odiei ter caído nessa também. Odeio ter atrapalhado meu andamento e meu progresso, até psicológico. Como você, acredito que as doenças da cabeça são muito piores. O que nos resta agora? Insistir. Não é essa a saída sempre?

      Muito bom ter você por aqui. Volte sempre pra conversar :')

      Já vou procurar sobre essa moça Sophie.
      Te desejo o mesmo. Muita força, querida! Vamos seguindo. E muito obrigada pelos votos ♥

      Excluir

Receba os novos posts por e-mail!